O Peso da Mochila, Vilão ou Mocinho?

Meu filho de 11 anos me contou o seguinte: “Pai, uma garota na escola me viu com a mochila cheia de material e perguntou por que eu não aluguei o armário?
O Peso da Mochila, Vilão ou Mocinho

Excelente texto do sócio e coordenador técnico-científico da ABRAFITO RJ, Ney Meziat, e grupo Desliga Dor.

Meu filho de 11 anos me contou o seguinte: “Pai, uma garota na escola me viu com a mochila cheia de material e perguntou por que eu não aluguei o armário? Eu disse a ela que o meu pai é fisioterapeuta e cientista e que ele disse que carregar mochila faz com que a gente fique mais forte.” Ela disse: “minha mãe é médica e eu não acredito no que você está dizendo.” Você deve estar se perguntando: quem está certo?

A crença popular de que uma mochila pesada cheia de livros causa dor nas costas se alinha com as crenças biomédicas de boa parte dos profissionais da saúde. Mas o que a ciência diz sobre essa associação?

Vou falar sobre duas importantes revisões sistemáticas do assunto. Na primeira, publicada no British Journal of Sports Medicine (BJSM) em 2018 por Yamato et al. foram analisados 69 estudos com mais de 72.000 crianças e adolescentes. Na segunda, publicada no European Journal of Pain por Calvo-Muñoz et al. em 2020, foram analisados 21 estudos com mais de 15.000 escolares entre 9 e 16 anos. Os resultados da primeira mostraram que não há associação consistente entre o uso ou tipo de mochila e dor nas costas. Na segunda, os autores não encontraram associação entre usar mochila com mais de 10% do peso corporal e dor nas costas em crianças e adolescentes.

Ou seja, com as evidências atuais posso dizer ao o meu filho “não ligue para ela e continue fazendo a sua musculação diária para ficar cada vez mais forte e ser um adulto com menor risco de aposentadoria por invalidez.” Vocês devem estar se perguntando, o que aposentadoria por invalidez tem a ver com isso? Um estudo da Suécia por Henriksson et al. e publicado na BJSM em 2019 acompanhou mais de 1 milhão de adolescentes durante 30 anos e concluiu que fraqueza muscular na adolescência está fortemente associada a aposentadoria por invalidez.

Por isso, deixar as crianças e adolescentes carregarem mochila nas costas pode ajudá-los a serem adultos mais fortes.